Rentabilidade dos fundos de pensão no primeiro trimestre foi de 3,14%

2018-07-25T12:01:44+00:00 quarta-feira ,04/07/2018|

A carteira consolidada das Entidades Fechadas de Previdência Complementar – EFPCs teve rentabilidade de 3,14% no primeiro bimestre, segundo dados divulgados pela Associação Brasileira das Entidades Fechadas de Previdência Complementar (Abrapp). O retorno da carteira é superior à do mesmo período de 2017, quando a rentabilidade chegou a 3,00%.

Já os ativos do sistema apresentaram um incremento de 5,93% no período, somando R$ 858 bilhões, ante os R$ 810 bilhões em fevereiro de 2017, e representando 13,1% do PIB.

Em fevereiro 487 planos estavam em dia com as suas metas, representando um superávit equivalente a R$ 24,9 bilhões. Cerca de 180 planos apresentaram déficit, com R$ 27,8 bilhões acumulados, e com destaque positivo para o decréscimo de 17,51% em comparação aos R$ 33,7 bilhões acumulados no final de 2017. De acordo com a Abrapp, a redução do déficit é resultado dos planos de equacionamento que algumas EFPC’s fizeram e a boa rentabilidade auferida nos investimentos.

O levantamento da Abrapp revelou ainda que o sistema registrou 70 mil novos participantes na categoria assistidos, ou seja, que já estão recebendo benefícios. Desta forma, os assistidos chegam a mais de 824 mil, enquanto o número de participantes ativos superou 2,5 milhões.

O valor médio mensal da aposentadoria programada foi de R$ 5.882, segundo o levantamento, enquanto a média da aposentadoria por invalidez foi de R$ 2.369 e o valor das pensões chegou à média de R$ 2.752. (Abrapp)

Mais Notícias OABPrev

A Previc publicou na última terça-feira (11), no Diário Oficial da União, regras para fortalecer o controle dos registros contábeis das EFPCs. Fabio Coelho, diretor-superintendente do órgão, disse a jornalistas durante o 39º Congresso Brasileiro das Entidades Fechadas de Previdência Complementar), em Florianópolis,  que o objetivo é o [...]

Luís Eduardo Afonso propõe “milhagem” para aposentadoria e exalta papel dos fundos de pensão “Precisamos equacionar as finanças públicas. Sem isso não se constroem as bases do crescimento sustentável da nossa economia. E, neste momento, equacionar as finanças públicas significa fazer a reforma da Previdência Social”. A afirmação [...]

O setor da previdência complementar fechada, que já conta com base legal abrangente, avança no campo da governança ao buscar a elaboração e a implantação de regras de gestão que garantam ainda mais segurança aos participantes. Nesse sentido, a Previc (Superintendência Nacional de Previdência Complementar) finaliza uma resolução [...]