OABPrev-SP e entidades representativas dos fundos de pensão apoiam criação de agência única para o setor

2019-06-05T10:30:17+00:00 sexta-feira ,03/05/2019|

“Vemos a criação do novo órgão como uma oportunidade de fomento para os produtos previdenciários de longo prazo”. Assim o presidente do Conselho Deliberativo da OABPrev-SP, Jarbas de Biagi, referiu-se à intenção manifestada pelo ministro da Economia, Paulo Guedes, de criar uma agência única de supervisão e regulação da previdência complementar. Na qualidade de presidente do Sindapp (Sindicato Nacional das Entidades Fechadas de Previdência Complementar), Biagi ressalvou que, no caso de uma fusão entre Previc e Susep, deve-se atentar para a estratificação dos produtos previdenciários: “É importante que a estratificação seja bem cuidada para dar um tratamento adequado a cada tipo de produto, de acordo com a sua natureza previdenciária ou financeira”.

Na avaliação do presidente da OABPrev-SP, Marcelo Sampaio Soares, o fato de o governo ocupar-se de questões relacionadas à previdência complementar, por si só, já é positivo. “É muito importante, neste momento em que a reforma da Previdência Social ganha corpo, que autoridades governamentais e especialistas voltem os olhos para um setor que, além de garantir o futuro de milhões de pessoas, é decisivo para fazer a economia brasileira movimentar-se”, salientou Soares.

Mesma postura tem o presidente da Abrapp (Associação Brasileira das Entidades Fechadas de Previdência Complementar), Luís Ricardo Marcondes Martins, que, em entrevista ao jornal Valor Econômico, declarou: “A criação de uma agência única é uma notícia positiva que demonstra que a previdência complementar voltou ao foco das atenções do governo brasileiro. Nem poderia ser diferente. Com a proposta da Nova Previdência baseada no modelo de capitalização, é necessário fortalecer o órgão de supervisão do sistema”.

Segundo Martins, contudo, a eventual unificação dos órgãos “deve considerar as diferenças e as particularidades dos agentes que atuam em cada um dos segmentos”.

Para o presidente da UniAbrapp, Luiz Brasizza, a nova agência terá também o desafio de ampliar a educação financeira e previdenciária. “Um dos cernes da nova agência, além da regulação e a fiscalização, deve ser o fomento educacional para a valorização da poupança previdenciária de longo prazo”, declarou Brasizza.

Mais Notícias OABPrev

Metade do ano se foi e nesses seis meses a OABPrev-SP atingiu rentabilidade de 4,45%, o equivalente a 144% do CDI (Certificados de Depósito Interbancário), que no mesmo período alcançou 3,07%. De janeiro a junho de 2019, OABPrev-SP também superou com folga os 2,25% de rentabilidade da Poupança [...]

O momento da economia brasileira, com taxa básica de juros a 6,5% (viés de baixa) e inflação abaixo da meta (3,80% ao ano, em julho), tem desafiado as entidades fechadas de previdência complementar, que tradicionalmente priorizam os títulos públicos pelo baixo risco e a boa rentabilidade agregada.  Apesar [...]

O Conselho Nacional de Previdência Complementar (CNPC) realizou sua primeira reunião neste governo no último dia 25 de julho, em Brasília. Em pauta, temas como os desdobramentos da reforma da Previdência, aprovada em primeiro turno na Câmara dos Deputados, a operacionalização das regras do CNJ por plano e [...]

Fale com nosso chat