Independência entre órgãos internos é vital para os fundos de pensão, diz conselheira da OABPrev-SP

2018-10-16T09:09:48+00:00 quinta-feira ,13/09/2018|

Adriana de Carvalho Vieira fez palestra sobre o tema no 39º Congresso Brasileiro das Entidades Fechadas de Previdência Complementar.

Os processos decisórios, principalmente nas áreas de investimento e de benefícios, devem estar adequados às necessidades específicas de cada tipo de plano de previdência. Assim entende Adriana de Carvalho Vieira, conselheira da OABPrev-SP. A advogada fez palestra sobre o tema “A Responsabilidade de Conselheiros e Dirigentes e o Dever Fiduciário” durante o 39º Congresso Brasileiro das Entidades Fechadas de Previdência Complementar, realizado em Florianópolis de 10 a 12 de setembro.

Especialista da UniAbrapp, Adriana Vieira disse que os fundos de pensão, tanto os patrocinados quanto os instituídos, devem conjugar as atribuições de seus órgãos internos, como Conselhos Deliberativo e Fiscal, de forma a tornar o ambiente harmônico. “Cada qual tem de observar suas respectivas competências. Não pode haver interferência entre as diversas atribuições”, salientou.

Segundo a advogada, a harmonia entre os órgãos internos tem efeito direto em prol dos objetivos da entidade previdenciária. “É um alinhamento indispensável para que se alcance o melhor resultado possível na gestão do plano de benefícios”, observou.

Independentemente da fiscalização externa, exercida pela Previc (Superintendência Nacional da Previdência Complementar), as entidades têm de contar com mecanismos de apuração e de busca de reparo no caso de eventuais prejuízos. “A questão da responsabilização vai permear todas as entidades, sejam os planos patrocinados, sejam os instituídos, com uma diferença: nos planos instituídos, obrigatoriamente, deve-se fazer a gestão de ativos de forma externa, terceirizada, e isso muda o foco da gestão”, explicou.

Adriana Vieira observou que, no caso dos fundos instituídos, a terceirização da gestão dos investimentos obriga a administração a “cuidar para que não haja conflito de interesses, para que ocorra uma seleção efetiva dos gestores, no sentido de se premiar melhor o patrimônio do participante e de se obter as menores taxas. Nos planos instituídos, essa característica de monitoramento e fiscalização de terceiros é muito presente”.

Mais Notícias OABPrev

O Ipea (Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada) revisou para baixo a previsão de crescimento do PIB em 2019 – de 2,7% para 2,0%. E o crescimento de 2,0% só virá, segundo o Instituto, com a aprovação da reforma da Previdência. A revisão para baixo ocorreu porque os primeiros [...]

O projeto #2020SemPapel da OABPrev-SP segue a todo vapor. Encontra-se em fase final de desenvolvimento a ferramenta de adesão on-line que permitirá aos advogados contratar via site da entidade o plano de previdência da OABPrev-SP, de maneira simples, desburocratizada e sem precisar sair de casa ou do escritório. [...]

Aos 12 anos de sua criação, a OABPrev-SP consolida-se como um dos mais poderosos fundos fechados de previdência do Brasil. Com 48 mil participantes – e o extraordinário ritmo de crescimento médio de 500 adesões por mês –, a previdência da advocacia acumulou até janeiro de 2019 patrimônio [...]