FUNDOS INSTITUÍDOS VÃO PUXAR A PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR FECHADA, DIZ VALOR ECONÔMICO

Jornal citou a OABPrev-SP como plano de sucesso no setor.

“Fundo de pensão aposta em plano instituído”. Essa foi a manchete do caderno de Finanças do jornal Valor Econômico no último dia 11 de setembro. A reportagem, assinada pela repórter Juliana Schincariol, traça um panorama da previdência complementar fechada nos modelos instituído e setorial, e posiciona a OABPrev-SP como destaque do primeiro. O fundo de previdência dos advogados, aos 11 anos de vida, conta com 44 mil participantes e 143 assistidos. Seu patrimônio já é de R$ 630 milhões.

Conforme a matéria do Valor, o segmento dos fundos de pensão tem atualmente patrimônio da ordem de R$ 800 bilhões, cenário em que os fundos instituídos, com R$ 8,9 bilhões, aparecem ainda longe do seu potencial. Porém, são os instituídos que vêm puxando o avanço do setor como um todo, tendo crescido ao ritmo de 2,4% por ano na última década.

“Regulamentados por meio da lei complementar número 109, de 2001, na esteira da necessidade de se ampliar a proteção social para classes que estavam descobertas, como autônomos, prestadores de serviços e profissionais liberais, os primeiros fundos instituídos só foram criados em 2004. Hoje, são 65 planos de 36 entidades, segundo a Superintendência Nacional de Previdência Complementar (Previc)”, relata o Valor Econômico.

Mais importante veículo da imprensa econômica brasileira, o Valor ouviu para a elaboração da reportagem, a ocupar página inteira, o presidente da OABPrev-SP, Luís Ricardo Marcondes Martins, que também preside a Abrapp (Associação Brasileira das Entidades Fechadas de Previdência Complementar). O dirigente explicou que o setor de previdência complementar fechada tem imenso potencial de crescimento, mas sua evolução está condicionada a algumas medidas. “Se nada for feito, pelo fluxo do que se paga, as reservas dos fundos de pensão podem sofrer esgotamento a partir de 2034”, alertou.

Segundo Martins, o sistema é sólido, mas carece de fomento. Entre as iniciativas que podem promover o impulso desejado estão a aprovação do mecanismo de adesão automática e a flexibilização para que familiares de participantes, até terceiro grau, possam aderir aos planos instituídos e setoriais. Outro salto viria com a implantação do mecanismo de adesão automática, medida que por enquanto conta com parecer contrário da Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional.

“Acreditamos que os fundos instituídos e setoriais, ainda assim, vão impulsionar o crescimento no curto, médio e longo prazo”, disse ao Valor o especialista Sérgio Egídio, diretor da Icatu Fundos de Pensão, empresa parceria da OABPrev-SP na gestão de investimentos e do passivo.

2017-10-17T10:25:52+00:00 18/09/2017|