Fundos de pensão já se recuperam de perdas com a pandemia, diz novo relatório da Previc

2020-08-12T09:34:59+00:00 sexta-feira ,17/07/2020|

Publicada no dia 13 de julho, a quinta edição do Relatório de Estabilidade da Previdência Complementar (REP) da Previc (Superintendência Nacional das Entidades Fechadas de Previdência Complementar) mostra que a solvência dos planos integrantes do sistema era de 100% em dezembro de 2019, com resultado agregado positivo de R$ 400 milhões. O documento exibe consistente declínio de déficits e crescimento de superávits a partir de 2015.

“O sistema vinha em um movimento positivo, em seu melhor momento. Vínhamos com 100% de solvência, superando grandes países como EUA, Canadá e Reino Unido no final do ano passado”, lembra Luís Ricardo Martins, Diretor Presidente da Abrapp (Associação Brasileira das Entidades Fechadas de Previdência Complementar).

No início de 2020, antes do impacto da pandemia de coronavírus no Brasil, o sistema apresentou resultado positivo de cerca de R$ 10 bilhões, segundo estimativa da Abrapp. No fim do primeiro trimestre, com o impacto da crise de Covid-19, a diferença entre os superávits e déficits do sistema alcançou um saldo líquido negativo de R$ 53,4 bilhões, patamar similar ao de 2016, quando o país saía de uma forte recessão.

Já nos dois meses seguintes (abril e maio), o sistema iniciou um movimento de recuperação. Em abril, com uma gradual melhora dos mercados, a diferença entre déficits e superávits diminuiu para R$ 47,8 bilhões negativos. Em maio, o resultado negativo foi reduzido para R$ 35,8 bilhões. O índice de solvência do sistema permaneceu elevado.

“O relatório comprova a solidez do sistema e o importante papel da Previc como órgão fiscalizador. Está devidamente demonstrada a saúde financeira das entidades fechadas de previdência complementar como um todo. O setor mostra força e se confirma como uma das soluções para o futuro do país, afirma o presidente da OABPrev SP, Marcelo Sampaio Soares.

O caso da OABPrev SP exemplifica o ponto de inflexão do setor na pandemia.  Em abril, o fundo da advocacia alcançou rentabilidade de 1,54%, ou seja, 550% do CDI (0,38%) e 700% da Poupança (0,22%).

O Relatório de Estabilidade da Previdência Complementar indica que o sistema possui liquidez “em volume confortável, sem risco quanto ao pagamento de benefícios no prazo médio para os próximos 24 meses”. E mostra ainda que as EFPCs mantiveram o atendimento aos participantes e o pagamento de benefícios normalizados durante a pandemia. (com Abrapp)

Mais Notícias OABPrev

O novo presidente da OABPrev SP carrega na bagagem 22 anos de advocacia e três gestões como presidente da Subseção de Campinas da OAB SP. No plano de previdência da advocacia já foi diretor administrativo e de Benefícios, membro e vice-presidente do Conselho Deliberativo. Aos 45 anos, Daniel [...]

“É fundamental uma aproximação maior entre a OABPrev SP e as Subseções da OAB.  Na verdade, é justamente essa aproximação que servirá de mola propulsora para aumentar o número de adesões”. As palavras são de Leandro Aguiar Piccino, novo presidente do Conselho Deliberativo do fundo de previdência da [...]

Transparência absoluta e rigor no cumprimento da Lei Geral de Proteção de Dados estão no foco da nova presidente do Conselho Fiscal da OABPrev SP, Luiza Gomes Gouvêa Miranda. Advogada desde 2010 e atual secretária-geral adjunta da Subseção de Franca da OAB SP, ela é direta ao comentar [...]

Fale com nosso chat