Fundo da advocacia está atento a mudanças na política de juros do Banco Central

2018-07-04T11:50:26+00:00 quarta-feira ,13/06/2018|

É hora de as entidades fechadas de previdência complementar diversificarem seus portfólios de investimento. Com a inesperada decisão do Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central, no último dia 16 de maio, de manter em 6,50% a taxa básica de juros, a Selic, os fundos de pensão precisam agora buscar novos investimentos que mantenham a rentabilidade e a liquidez, sem abrirem mão da segurança.

 

“Segurança, rentabilidade e liquidez continua sendo o tripé que alicerça nossa instituição”, afirma o diretor financeiro da OABPrev-SP, Marco Antonio Cavezzale Curia.

“Enquanto gestores, já estamos trabalhando para buscar rentabilidade e liquidez superiores à renda fixa tradicional, mas nos atentando bastante com os riscos”, observa Bruno Horovitz, sócio da Icatu Vanguarda, parceira da OABPrev-SP na gestão de recursos.

 

A manutenção da Selic, que vinha caindo continuamente, pode mudar um pouco o ambiente de investimentos. Registre-se que no Brasil o investidor típico raramente possui um portfólio diversificado. Os títulos públicos, especialmente os indexados à Selic e à inflação (IPCA), são uma das principais fontes de aplicação dos fundos. Segundo dados da Abrapp (Associação Brasileira das Entidades Fechadas de Previdência Complementar), hoje, do total dos R$ 804,8 bilhões alocados pelos fundos de pensão brasileiros, 73,6% estão justamente na renda fixa. Enquanto a renda variável representa apenas 17,7% dos investimentos, ante 32,5% sete anos atrás.

 

O grande questionamento por trás deste nível historicamente baixo da Selic é como os investidores devem navegar por um cenário em que, para continuar com ganhos expressivos, terão que sair do conforto da renda fixa tradicional e migrar para investimentos mais arrojados. Horovitz explicou a estratégia do fundo da advocacia: “Nós estamos, aos poucos, migrando investimentos em renda fixa para outras classes de ativos que, no longo prazo, terão retornos superiores à Selic, como a renda variável e os produtos multimercados”.

 

A decisão do Banco Central de estabilizar os juros básicos deve-se ao fato do cenário externo ter-se tornado mais desafiador e volátil que em 2017 para o Brasil. Vê-se ao longo das últimas semanas a valorização expressiva do dólar em relação ao real e o aumento dos juros nos Estados Unidos, o que torna a economia americana mais atrativa.

 

Segundo Horovitz já era esperada certa volatilidade no desempenho da economia brasileira em 2018, por ser ano de eleições. Por esse motivo, a administradora se precaveu. “No início de 2018, realizamos diminuições pontuais de risco no portfólio da OABPrev-SP, de forma a enfrentar este cenário. Desta forma, estamos defendendo o portfólio e as reservas previdenciárias”, explica.

 

Hoje a OABPrev-SP detém patrimônio de R$ 700 milhões de reais e mais de 46 mil participantes, constituindo o maior plano fechado de previdência complementar instituído por entidades de classe do país.

Mais Notícias OABPrev

A Previc publicou na última terça-feira (11), no Diário Oficial da União, regras para fortalecer o controle dos registros contábeis das EFPCs. Fabio Coelho, diretor-superintendente do órgão, disse a jornalistas durante o 39º Congresso Brasileiro das Entidades Fechadas de Previdência Complementar), em Florianópolis,  que o objetivo é o [...]

Luís Eduardo Afonso propõe “milhagem” para aposentadoria e exalta papel dos fundos de pensão “Precisamos equacionar as finanças públicas. Sem isso não se constroem as bases do crescimento sustentável da nossa economia. E, neste momento, equacionar as finanças públicas significa fazer a reforma da Previdência Social”. A afirmação [...]

O setor da previdência complementar fechada, que já conta com base legal abrangente, avança no campo da governança ao buscar a elaboração e a implantação de regras de gestão que garantam ainda mais segurança aos participantes. Nesse sentido, a Previc (Superintendência Nacional de Previdência Complementar) finaliza uma resolução [...]