Estudo prevê crescimento da 25% da previdência complementar em cinco anos

2019-09-06T10:56:09+00:00 quinta-feira ,15/08/2019|

Reportagem do jornal O Globo, publicada em 11 de agosto, afirma que o número de brasileiros que possuem previdência complementar crescerá 25% em cinco anos, saltando de 16 milhões para 20 milhões, consideradas as adesão a planos abertos e fechados. A estimativa baseia-se em estudo da consultoria especializada Mercer e aponta a aprovação da reforma da previdência, tida como certa no Senado, como o principal motivo do crescimento.

Conforme a matéria de O Globo, outros fatores que favorecem o crescimento da previdência privada são a queda dos juros básicos e a crescente competição entre gestores, fintechs, bancos e seguradoras. A mudança do cenário faria com que as instituições reduzissem taxas, oferecessem fundos mais agressivos e investissem em tecnologia para atrair mais gente.

O jornal cita especificamente a expectativa de avanço dos fundos de pensão, salientando que a Abrapp (Associação Brasileira das Entidades Fechadas de Previdência Complementar) tem estimulado a criação de “planos-família”, os quais permitem a adesão de cônjuges e filhos. Segundo a entidade, 80% das novas adesões hoje vêm de familiares de participantes.

Mais Notícias OABPrev

Qual o perfil do aposentado brasileiro? Pode ser o de um indivíduo que recebe parcos vencimentos do INSS e passa os dias sem a tranquilidade que merece quem trabalhou a vida toda. Ou pode ser o de uma pessoa que desfruta do sossego que caracteriza os mais previdentes. [...]

Ainda neste semestre deverá estar concluído o projeto #2020SemPapel, que tornará eletrônicos todos os procedimentos da OABPrev SP. Na sequência das ações modernizadoras iniciadas em 2019, o fundo da advocacia está finalizando o cadastramento dos e-mails de todos os participantes, boa parte dos quais não se comunicava com [...]

O que 2020 reserva para economia brasileira? Se tudo der certo, o PIB crescerá 2,3%, deixando para trás a quase estagnação verificada nos últimos anos. A inflação ficará na casa dos 3,6% e a Selic – taxa básica de juros – se estabilizará em torno dos atuais 4,5% [...]

Fale com nosso chat