Conselho Nacional de Previdência Complementar aprova “CNPJ por Plano”

2019-01-18T18:26:46+00:00 quarta-feira ,19/12/2018|

Em reunião ordinária no dia 11 de dezembro, em Brasília, Conselho Nacional de Previdência Complementar (CNPC) aprovou por unanimidade a proposta do registro de “CNPJ por Plano”.  Trata-se de um instrumento que garantirá a segregação e a independência do patrimônio dos planos de benefícios e contribuirá para o fomento do sistema como um todo, entendem os dirigentes do setor.  A reunião foi presidida pela secretária-executiva do Ministério da Fazenda, Ana Paula Vescovi.

“A medida traz uma proteção importante a riscos jurídicos e permite o crescimento das fundações em bases sólidas, o que privilegia a direção da segregação patrimonial dos planos de benefícios”, disse Vescovi, acrescentando que a aprovação do “CNPJ por Plano” foi fruto de discussões ocorridas em reuniões do GTMK – Grupo de Trabalho do Mercado de Capitais -, nas quais a Abrapp  (Associação Brasileira das Entidades Fechadas de Previdência Complementar) defendeu a proposta.

“Temos de agradecer o trabalho da secretária-executiva Ana Paula  Vescovi e o acompanhamento do ministro da Fazenda Eduardo Guardia, desde quando ainda presidia o CNPC, além do trabalho da Previc na elaboração da proposta a quatro mãos, junto com a Abrapp”, ressaltou Luís Ricardo Martins, presidente da Abrapp. Ele agradeceu também o engajamento dos dirigentes do Sindapp, do ICSS e da UniAbrapp no apoio à aprovação da proposta.

“Trata-se de medida importantíssima, que traz segurança jurídica a todos os atores do sistema, sejam participantes, entidades, gestores e patrocinadores. Neste momento de fomento de planos instituídos e multipatrocinados, o ‘CNPJ por Plano’ chega para coroar todo o trabalho desenvolvido nos últimos dez anos”, destaca Jarbas Antonio de Biagi, presidente do Sindapp, conselheiro do CNPC e presidente do Conselho Deliberativo da OABPrev-SP.

Membro do Conselho Fiscal da OABPrev-SP, Patrícia Linhares  integrou o grupo de trabalho que desenvolveu o “CNPJ por Plano”, o qual, entre outros pontos, mantém as regras tributárias dos planos de benefícios. “As propostas de não incidência das obrigações acessórias e a manutenção das regras de tributação dos planos foram aceitas pela Receita Federal”, enfatiza Linhares.

A norma está alinhada às recentes alterações promovidas pela Resolução CMN nº 4.661/2018 que, ao dispor sobre as diretrizes de aplicação de recursos garantidores dos planos de benefícios, previu o registro individualizado e identificado por plano dos ativos financeiros em sistemas de custódia. A nova resolução estabelecerá um prazo máximo de três anos, até 31 de dezembro de 2021, para que as entidades fechadas se adaptem à nova regra. (Com AssPreviSite)

Mais Notícias OABPrev

Depois de render quatro prêmios Nobel (a Hebert Simon em 1978, Daniel Kahneman em 2002, Robert Shiller em 2013 e Richard Taylor em 2017), a Economia Comportamental passou de um programa de pesquisa marginal para um dos mais influentes conceitos de análise de mercado e de formulação de [...]

A OABPrev-SP iniciará em janeiro o processo de obtenção do Selo de Autorregulação em Governança de Investimentos do sistema Abrapp (Associação Brasileira das Entidades Fechadas de Previdência Complementar), Sindapp (Sindicato Nacional das Entidades Fechadas de Previdência Complementar) e ICSS (Instituto de Certificação Institucional e dos Profissionais de Seguridade [...]

Ainda hoje a história da OABPrev-SP, 12 anos após sua criação, é confundida por alguns advogados com fatos relacionados à Carteira dos Advogados do Ipesp, criada em 1959. Trata-se de entidades de naturezas diversas, regidas por leis diferentes e cujas trajetórias não têm pontos em comum. Prejudicada por [...]